Bem Vindo à Agência da Saúde - 03 de Dezembro de 2020 - 09:55

Bem-estar

Aprenda a reduzir o estresse

Estresse | 00/00/0000 00h 00min

Apesar de não ser considerado uma doença, pode favorecer o aparecimento de problemas psico-fisiológicos e, por isso, precisa ser observado e controlado. O atual e agitado ritmo de vida moderno cria um ambiente totalmente favorável a ampliação do estresse. O resultado é exemplificado por inúmeros casos de pessoas desestimuladas, depressivas e obesas, e por vezes tudo isso simultaneamente. Está cientificamente comprovado que, em demasia, o estresse eleva consideravelmente a quantidade de produção do hormônio cortisol, que embora desempenhe papel importante, em excesso contribui para o ganho de peso.
 
Conheça os hábitos mais indicados para deixar o estresse excessivo longe do seu organismo e redescubra os prazeres de se viver bem.
 
Alimentação Saudável
Somente transformar os hábitos alimentares não trará a sua vida “normal” de volta. No entanto, esse processo de mudança começa e se mantém devido à ingestão regular dos nutrientes dos quais o organismo tanto necessita.
Ter uma alimentação equilibrada faz com que o corpo se sinta disposto para encarar os desafios que se seguirão de um modo mais fácil. Sem essa energia proveniente da reunião de proteínas, carboidratos, vitaminas, minerais e gorduras (as corretas), dificilmente alguém conseguirá seguir uma rotina adequada de exercícios físicos, por exemplo.
Os estudiosos explicam que, toda vez que um organismo tem deficiência de nutrientes, ele tenta recompensar de outras maneiras. Essas espécies de improvisos geram ainda mais desgaste. Daí aquela sensação de cansaço que parece acompanhar muitas pessoas durante as 24 horas do dia.
 
Exercícios Físicos
Praticar atividades físicas deve ser uma consequência imediata da alimentação balanceada. Quando se adquire o hábito de exercitar o corpo regularmente, o corpo recebe uma série de benefícios que auxiliam na redução do estresse.
Assim, o corpo exercitado é beneficiado pela produção de hormônios como a adrenalina e o glucagon. Enquanto a primeira contribui para aplacar o estresse, o segundo amplia a concentração de glicose presente no fígado. Some-se a isso a síntese de cortisol, que passa a ocorrer de modo ordenado, situação que leva este hormônio a desempenhar seu real papel: o de substância anti-inflamatória. Além disso, não se deve esquecer da endorfina, essencial para que qualquer indivíduo se sinta bem consigo mesmo.
 
Altere a sua postura
A mudança de postura corporal influi diretamente no modo como pensamos. Pessoas que cotidianamente adotam posturas desconfortáveis tendem a apresentar muita dificuldade para enxergar e aplicar soluções aos problemas enfrentados durante o dia. A má postura interfere no equilíbrio interno do corpo. Portanto, considere que manter uma postura correta não apenas ajudará a evitar o desenvolvimento de dores físicas crônicas no futuro, mas também contribuirá para a saúde mental, condição imprescindível para quem pretende reduzir os índices de estresse.
 
Cuide de sua respiração
Aprender a respirar é outro fator que pode fazer muita diferença na vida de pessoas que passam por uma ampla diversidade de situações estressantes durante o dia.
Segundo os especialistas, quando alguém está em um estado de ansiedade crescente, tentar controlar o ritmo respiratório ajuda a acalmar os nervos e faz com que o indivíduo se concentre exclusivamente naquele momento. Essa canalização de energia faz com que a ansiedade diminua. Treine para que você tenha controle sobre a respiração, existem diversos exercícios de respiração que facilitam o encontro desse ponto de equilíbrio e ajuda a aliviar o estresse.
 

Fonte:   -Keity Costa

Veja também

Guia da Saúde

Encontre um profisional de saúde pela especialidade, nome ou cidade.