Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bem Vindo à Agência da Saúde - 17 de Outubro de 2021 - 11:17

Univida

Senescência em ambiente domiciliar

Senescência | 24/05/2013 09h 36min

No Brasil, indivíduos com 60 anos ou mais representavam 5,0% da população geral na década de 40 e segundo o Instituto Brasileiro de Geografia estatística (IBGE) a população de idosos passou de 6,1% em 1980 para 7,3 em 1991. A probabilidade de queda aumenta com o avançar da idade. Para Cunha U.G;  Guimarães R.M ( 1989), a queda se dá em decorrência da perda total do equilíbrio postural, podendo estar relacionada à insuficiência súbita dos mecanismos neurais e osteoarticulares envolvidos na manutenção da postura.

Você que possui um idoso no convívio domiciliar precisa saber que uma simples mudança na estrutura e decoração do ambiente familiar  contribui de forma significativa para a prevenção de fraturas decorrentes da queda. As quedas podem ter efeitos diretos e ou indiretos na saúde das pessoas. Isto porque elas acarretam danos que podem piorar ou desencadear estados mórbidos.  
 
Além destas orientações os familiares devem estimular o idoso à prática de atividade física, pois através da atividade física é possível o fortalecimentos dos principais grupos musculares, e consequentemente, ajudará na melhoria da postura e prevenção a quedas  decorrentes   de patologias, como a osteoporose. 
 
Dentre as modalidades de atividades físicas, a Hidroginástica  é a mais recomendada, pois não tem contra-indicação e, além de promover o fortalecimento dos grupos musculares, melhora a postura e é considerada de baixo impacto.  Cuidar de seu IDOSO e realizar e estimular a prevenção a quedas. 
 
 
 
Prevenção a quedas é um cuidado especial
Siga estas três orientações e garanta ao seu querido membro familiar um processo de senilidade digno e saudável  longe de acidentes no âmbito domiciliar.
1. Escolher o calçado ideal.
O melhor calçado é aquele que o idoso sinta-se confortável, dê preferência aos tênis (sem cadarço) e sapatos fechados. Evite salto e chinelos.  
 
2. Ambiente deve ser iluminado e com poucos moveis . Exemplo:  Veja a foto tem vários sofás e uma mesa no centro, não há espaço adequado para movimentar-se entre os moveis, o que favorece o risco de tropeçar e vir a ter uma queda. Evite o uso de tapetes.
 
3. O banheiro é o cômodo do domicilio onde se deve ter atenção redobrada. Prefira os pisos antiderrapantes. Coloque corrimão na pia, vaso sanitário e chuveiro. Aumentar a altura do vaso sanitário em relação ao chão.  Colocar tapetes de plástico que possui aderência no chão.
 
Lembre-se que o importante é a prevenção como dizia Platão:“Deve-se temer a velhice, porque ela nunca vem só. Bengalas são provas de idade e não de prudência”.
 
Rosângela Guerino Masochini
Enfermeira e Professora da disciplina Saúde Integral do Adulto e Idoso
Universidade Federal de Mato Grosso-Campus Sinop.
Mestranda em Saúde e Gestão do Trabalho na Universidade do Vale do Itajaí, com a orientação da Drª Juliana Vieira de Araujo Sandri.
 
Bibliografia: Cunha UG de V, Guimarães RM. Sinais e sintomas do aparelho locomotor. In: Guimarães RM, Cunha UG de V. Sinais e sintomas em geriatria. Rio de Janeiro: Revinter; 1989. p. 141-54.  PIKLES, B.; COMPTON, A.;COTT,C.; SIMPSON, J.; VOORT, A. V. Fisioterapia na terceira idade. 2. Ed. São Paulo: Editora Santos, 2000.
 

Fonte:   -

Veja também

Guia da Saúde

Encontre um profisional de saúde pela especialidade, nome ou cidade.